23 de jun de 2010

32

Às vezes ela achava que os opostos não se atraem. As diferenças afastavam, pensava ela.
O que ela fez foi tentar se adaptar, mas perdeu o ponto certo de adaptação e começou a fingir ser quem não era para disfarças as tais diferenças.
Fingia tão bem, quem nem ela percebeu que estava se enganado.
Um dia, olhou e viu que nada a sua volta fazia sentido.
Começou a retomar sua rotina, seus hábitos, seu jeito e se deparou com um amor descomprometido.
Esse amor era real, intenso, mas não era maduro. Ela estava pronta pro próximo passo, ele estava muito longe disso.
Ela queria muito mais do que ele podia oferecer naquele momento.
Nem precisa de muito imaginação para criar o desfecho dessa memória...

* Baseado em fatos irreais
** To be continued

Nenhum comentário: