9 de set de 2010

54

Às vezes sentia saudade.
Saudade da infância, daquela coisa que criança tem de realizar coisas. De imaginar e conseguir mesmo que no faz-de-conta, viver uma aventura.
Saudade da adolescência e de toda maturidade e segurança que a gente pensa que tem, quando se tem 15 anos.
Saudade do futuro que ainda não viveu, do seu dois quartos com os filhos correndo pela casa, dos países que visitou e dos que ainda não conhecia.

Tinha dificuldade de se focar no presente e nas coisas do agora, porque estava sempre querendo estar em outro lugar.


* Baseado em fatos irreais
** To be continued

Nenhum comentário: