29 de set de 2010

59

Por um longo tempo se viu tentando atender as expectativas dos outros com relação a sua própria vida. Estava sempre sorrindo e de bom humor. Estendia a mão amiga aos amigos e dava conselhos mesmo quando as pessoas estavam fazendo as maiores besteiras.
E falava de um certo jeito, evitava polêmicas, engolia sapos, tudo pra sustentar um mundo ideal onde ela estava sempre bem com todo mundo.
Só que um outro "eu" estava dentro dela querendo sair. Queria mandar todo mundo à merda de vez em quando, dizer que estava cheia de problemas e não sorrir o tempo todo.
Por muito tempo foi uma luta constante. Até que ela descobriu o Teatro.
E foi lá, num grupo amador, sem pretensão de virar global, que por 3 anos ela destilou a raiva e equilíbrou sua personalidade que é tão multifacetada quanto a de qualquer ser humano.
No começo, alguns olharam torto quando ela falava palavrão ou dava patada em alguém. Mas ela aceitou que ninguém é perfeito e eventualmente os outros aceitaram que ela era gente como a gente.

* Baseado em fatos irreais
** To be continued

Nenhum comentário: