29 de nov de 2010

66

Naquela noite sonhou com ele. Já haviam se passado mais de 15 anos, mas a história nunca ficou bem resolvida.

Sonhou que ele pedia desculpas, que queria mais uma chance. E mesmo no sonho, ele se comportou como o imaturo que era, infantilizado pela memória que ela tinha dele. Incrível sua capacidade de imaginá-lo mais velho.

No sonho, se manteve forte. Mesmo todos sendo contra, ela resolveu ceder e ir ter a tal conversa imaginada pelo seu inconsciente. E foi bom.

Desconfiou que era um sonho, contudo, não cedeu à tentação de baixar a guarda e conseguiu falar o sempre quis e nunca pode.

Acordou mais leve.

Às vezes, uma conversa imaginada também serve pra enterrar de vez um assunto.


* Baseado em fatos irreais
** To be continued

Nenhum comentário: