18 de mai de 2010

2

Centro da cidade. Formigueiro. Ela agradece de não ter mais que passar aqui todos os dias, mas sente uma certa nostalgia, vendo aqueles anônimos de um lado pro outro, com seus afazeres. Ela apenas passeia.
"Enquanto eu vou andando o mundo gira e nos espera numa boa", cantarolou. O som oco da cidade é até relaxante quando se limpa a mente.
Chegou na porta do Municipal, parou pra contemplá-lo. Um tanto assustador, cara de coisa intelectual demais pra ela. Se imaginou vestida com algo só visto em filmes e entrando no balcão nobre para assistir um balé qualquer.
Alguém lhe esbarra e ela volta da viagem.
- Desculpa. - disse-lhe o senhor apressado.
- Tá beleza! - respondeu e voltou a seguir seu caminho pela Cinelândia.

* Baseado em fatos irreais
** To be continued

Nenhum comentário: