9 de jun de 2010

26

Tinha regras. Regras rígidas. Se cobrava como um general. Se forçava a viver dentro de seus tratados, de seu mundinho perfeito e muitas vezes acabava se torturando, maltratando, pois não entendia que o mundo não tem regras. Não existe certo e errado. Mas pra ela existia. Ela tinha traçado toda sua vida e se esforçava pra encaixar suas decisões dentro do pré-estabelecido. O mais engraçado é que ela mesma era super volúvel, mudava de opinião o tempo todo. Era insegura, ansiosa, nem um pouco perfeita, na verdade.
Esqueceu de fazer novas regras, de rever seus planos futuros. Como pôde?

De repente, ela perdeu as rédeas, deu ordens pra si mesma que não foram cumpridas. Se perdeu. Enlouqueceu. E foi descobrindo aos poucos, pagando um preço muito alto, que temos que de quando em quando reavaliar nossas verdades absolutas.

Vamos crer que algum dia, ela finalmente conseguiu conviver com o caos que é o mundo, com a zona generalizada que é a vida. Mas não podemos afirmar. Sim, são memórias, mas nem tudo fica guardado.

* Baseado em fatos irreais
** To be continued

Nenhum comentário: