13 de jun de 2010

28

Ela fantasiava muito. Passava horas imaginando "como seria se". Seu jogo favorito. Nem sempre era saudável, às vezes era até meio masoquista, mas ela não ligava.
Nesta fase de sua vida, ela tentava segurar o desejo de brincar com isso. Ela parou de fazer planos e de inventar finais felizes pra sua história. Se tornou a personagem de sua própria música. Rotina, cotidiano, sem muitas expectativas... Nem por isso andava deprimida, mas podia-se dizer que estava se permitindo uma pausa nas projeções e ambições para deixar a vida levar. Pode parecer meio forte dizer isso, correndo o risco de ser mal interpretado, mas ela estava apenas vivendo.

* Baseado em fatos irreais
** To be continued

Nenhum comentário: